Avesso à democracia, Governo de Goiás diz que vai
criminalizar movimento estudantil.

0

No exercício do quarto mandato como Governador do Estado, Marconi Perillo (PSDB) demonstra pouca simpatia pelos movimentos democráticos no estado. Dessa vez, abespinhado com a ocupação das escolas estaduais pelos jovens alunos secundaristas, que lutam contra a terceirização da educação goiana às Organizações Sociais, como pretende o Governo, Marconi disse que vai abrir ações criminais contra os líderes do movimento.

A informação, publicada na coluna Giro de hoje, 15/12, diz que o governo entrará com representação criminal contra lideranças das ocupações. Segundo a nota do jornal, “O núcleo de inteligência do governo tem monitorado algumas lideranças do movimento e desconfia que muitos dos estudantes foram recrutados de outros Estados por partidos e sindicatos”, fato que não foi provado pelas autoridades.

Desde a últiima quinta-feira, 10/12, nove escolas foram ocupadas por alunos secundaristas de Goiânia e região metropolitana, que protestam contra a entrega das escolas públicas estaduais goianas às Organizações Sociais, como já foi anunciado pelo Governo Estadual. Os alunos dizem que a terceirização, como eles chamam, será um retrocesso e tende a precarizar ainda mais o ensino público em Goiás.

A Universidade Federal de Goiás, por meio da Faculdade de Educação, emitiu nota pública se posicionando contrariamente à militarização e à proposta de gestão escolar via OS por entender que não é por nenhuma dessas duas vias que o estado alcançará o objetivo de construir uma escola verdadeiramente pública, laica, gratuita e de qualidade para todos.

A judicialização tem sido a ferramenta do Governo de Goiás para coibir a discussão e os protestos democráticos contra o autoritarismo e a má gestão do tucano ao longo de quase 16 anos. A realidade, que o governo tenta sobrepujar pelas caras e bem articuladas campanhas midiáticas, mostra um estado falido e a caminho da insolvência. O vazio de políticas públicas, sobretudo pela falta de recursos financeiros, tem levado o Estado à beira do caos e colocado a população em iminente risco pelos altos índices de criminalidade que assola Goiás.

Sobre o autor

Graduando em Administração de Empresas pela UFG - Campus Goiânia, crítico das práticas politiqueiras e absolutamente intolerante a corrupção. @regesmaia

Comments are closed.