“Bandido bom é bandido morto?”. Artigo de promotor viraliza no facebook


Haroldo Caetano, promotor de justiça do Ministério Público de Goiás e defensor dos direitos humanos, aproveita data cristã para chamar atenção para a intolerância e o discurso de ódio

0

O promotor de justiça Haroldo Caetano, Mestre em Ciências Penais pela Universidade Federal de Goiás, autor de Execução Penal (Editora Magister) e Ensaio Sobre a Pena de Prisão (Editora Juruá), e vencedor do Prêmio Innovare em 2009 na categoria Ministério Público com o Programa de Atenção Integral ao Louco Infrator (PAILI), publicou, na sua página no facebook, um contundente texto que chama a atenção para o discurso de ódio que tem dominado as redes sociais nos últimos tempos.

Caetano faz um paralelo entre a paixão e morte de Jesus Cristo e a intolerância que domina o debate político nos dias atuais, especialmente quando se trata da defesa dos direitos humanos. “Enquanto Cristo era torturado e executado, as pessoas gritavam “matem Jesus!” ou algo parecido com “bandido bom é bandido morto!”, lembra. A postagem já foi compartilhada mais de 600 vezes e mais de 530 internautas comentaram na página.

O promotor também lembra que não é de agora que defensores de direitos humanos são criminalizados, torturados e mortos no Brasil. “Quantas vezes você comemorou a morte de bandidos? Quantas vezes você desejou a morte de outras pessoas só por discordar de suas opiniões?”, pergunta.

“Cada vez que você repete ‘direitos humanos para humanos direitos’, ou ‘bandido bom é bandido morto’ ou ainda ‘direitos humanos é direito de bandidos’, você condena Jesus Cristo novamente. Pense, pois esse talvez seja o lado em que você estaria há dois mil anos”, conclui.

Veja a postagem na página do facebook clicando aqui

 

Sobre o autor

Graduando em Administração de Empresas pela UFG - Campus Goiânia, crítico das práticas politiqueiras e absolutamente intolerante a corrupção. @regesmaia

Comments are closed.