Centro de Educação Profissional em Artes Basileu França sofre com descaso do Governo de Goiás


Professores e funcionários alegam falta de pagamento dos salários e outros direitos trabalhistas. Escola é referência no Estado e com a greve decretada pelos servidores cerca de 2,5 mil jovens estão sem aulas

0

O Centro de Educação Profissional em Artes Basileu França, uma tradicional escola referência em artes localizada no Setor Universitário, em Goiânia, sofre com o descaso do Governo de Goiás e 2,5 mil alunos estariam sem aulas, devido à greve decretada por professores e funcionários que estariam sem receber salários. A crise que chegou à essa unidade é a mesma que atinge todas as áreas prioritárias do governo de José Eliton, como segurança, saúde e cultura, além da própria educação.

De acordo com os professores do Basileu França, o Centro de Gestão em Educação Continuada (Cegecon), OS que administra a unidade, ainda não pagou os salários de outubro/2018 e a promessa é que só o fará depois do dia 25 de novembro. Segundo eles, os direitos trabalhistas, como FGTS, e os repasses para a previdência também não estão sendo pagos. A terceirizada alega que o Governo de Goiás não tem feito os repasses, o que inviabiliza a gestão da escola.

Servidores do Centro de Artes temem que os salários de novembro e dezembro não sejam pagos e já admitem calote por parte da Cegecon e do Governo de Goiás.

Em 2017, ação do promotor Fernando Krebs, do Ministério Público de Goiás, questionou judicialmente a legalidade do contrato de gestão mantido entre o Estado de Goiás e a organização social Cegecon, alegando que faltava à OS capacidade técnica para administrar o Centro. A justiça chegou a suspender o contrato de gestão.

Ontem, 16, Fernando Krebs voltou a abordar o assunto em vídeo postado na sua conta no twitter. Vejam

 

Sobre o autor

Graduando em Administração de Empresas pela UFG - Campus Goiânia, crítico das práticas politiqueiras e absolutamente intolerante a corrupção. @regesmaia

Comments are closed.