Em ação, Ministério Público chama de “blogs sujos” rede digital mantida com dinheiro público para atacar críticos da gestão estadual


No último dia 20 de julho, o promotor Fernando Krebs interpôs ação civil pública por improbidade administrativa contra o blogueiro Cleuber Carlos e mais três autoridades do governo de Goiás, além de uma empresa de marketing

0

O Ministério Público de Goiás, por meio do promotor de Justiça Fernando Krebs, titular da 57ª Promotoria de Defesa do Patrimônio Público de Goiânia, propõs uma ação civil pública por ato de improbidade administrativa contra o blogueiro Cleuber Carlos, dono do sítio digital blogdocleuber, e mais três autoridades do alto escalão do governo de Goiás, entre eles João Furtado Neto, ex-diretor do Detran-Go e Manoel Xavier Ferreira Filho, atual secretário da Fazenda do Estado de Goiás.

Na ação, o Ministério Público chama de “blogs sujos” a rede digital mantida com dinheiro público do erário estadual para, segundo o órgão ministerial, publicar matérias favoráveis ao Governo do Estado de Goiás e a Marconi Perillo, bem como matérias atacando adversários políticos do ex-Governador e de seu grupo político-partidário. O MP-GO pede o bloqueio dos bens dos envolvidos e a devolução de R$ 1,6 milhão aos cofres públicos.

De acordo com o promotor do caso, entre 2015 e 2017, o Grupo Executivo de Comunicação do Estado de Goiás (Gecom) pagou ao blogueiro Cleuber Carlos mais de R$ 440 mil para que o mesmo publicasse “matérias chapa-branca”  em favor do Governo e outras desancando os adversários dos mandatários de ocasião.

Para o Ministério Público, o alto valor pago a um blog com baixo número de acessos caracteriza a malversação do dinheiro público e cita como exemplo o chamado Custo Por Mil (CPM) visualizações, método usado para cobrança da publicidade digital em grandes portais da internet. Em termos de comparação, o MP-GO cita o valor cobrado pelo Site Mais Goiás pela publicidade digital do governo de Goiás, que é de R$ 16,41 por CPM, enquanto que o valor pago ao BlogdoCleuber chega a incríveis R$ 3,5 mil por CPM, cerca de 21.000% a mais.

“De fato, esse superfaturamento só encontra explicação no desvio de finalidade, pois para pagar tão caro assim em uma propaganda que pouquíssimas pessoas visualizarão somente pode ser justificada por objetivos escusos. In casu, o ataque a adversários e os elogios ao ex-Governador e seus aliados oferecidos diariamente pelo blog sujo Blog do Cleuber Carlos”, diz a peça do Ministério Público.

 

Sobre o autor

Graduando em Administração de Empresas pela UFG - Campus Goiânia, crítico das práticas politiqueiras e absolutamente intolerante a corrupção. @regesmaia

Comments are closed.