Gastos com propaganda no Governo Caiado foram 84% menores do que no governo anterior


Despesas com propaganda e noticiário nos seis primeiros meses de 2019 representam apenas 16% do que o foi gasto até o segundo semestre do governo tucano de Marconi Perillo e José Eliton.

0

Nos seis primeiros meses do atual Governo de Ronaldo Caiado, as despesas com propaganda e noticiário tiveram uma substancial redução e representam apenas 16% dos que foi gasto no mesmo período do ano passado, último ano dos governos de Marconi Perillo e José Eliton, ambos do PSDB. Os dados são do Tribunal de Contas do Estado de Goiás e estão publicados no site do órgão em exigência ao que determina o Artigo 30 da Constituição Estadual.

De acordo com o relatório, até o segundo semestre de 2019, o Governo Estadual informou que gastou o total de R$ 6,1 milhões com noticiário, propaganda ou promoção, qualquer que tenha sido o veículo de planejamento, estudo e divulgação. No mesmo período do ano passado, os governos de Marconi Perillo e José Eliton já haviam despendido R$ 36,3 milhões com essas despesas. Em todo o ano de 2018, Perillo e Eliton gastaram R$ 70,7 milhões com propagandas.

Entre 2011 e 2018, o governo tucano, que comandou Goiás por quatro mandatos e que teve como maior expoente o ex-governador Marconi Perillo, gastou mais de R$ 1 bilhão em propagandas e noticiários. A relação do governo de Perillo com blogs e sites acabou chamando a atenção do Ministério Público, que interpôs várias ações de improbidade, e até ações penais, contra o tucano e donos de sites e blogs que, segundo o MP-GO, receberam recursos públicos para promover o então mandatário estadual e divulgar fake news contra seus adversários.

Assim que assumiu o mandato, em 1º de janeiro de 2017, Ronaldo Caiado prometeu dar um novo rumo à administração pública estadual, priorizando os serviços essenciais prestados pelo ente público em detrimento de gastos desnecessários ou que tivessem o único objetivo de promover a figura do governador, como era praxe em Goiás. As medidas de contenção, de acordo com o governo, além de estratégicas, são ações que se impõem, haja vista o grande rombo herdado da gestão passada.

De acordo com Caiado, uma grande estrutura criminosa foi montada no Estado com o intuito de dilapidar os cofres públicos goiano. Segundo ele, suas ações à frente do executivo tem o condão de mudar paradigmas na administração pública e, por consequência, mudar a realidade de Goiás. Os números do TCE-GO, para o governador, mostram isso.

“Uma coisa é a pessoa não ser um bom gestor, mas desde que seja honesto, seja correto, ele pode até não ter aquele viés e não ter conseguido implantar uma boa gestão. Mas o mais grave é quando, realmente, a gestão foi implantada com outro objetivo. Foi implantada para usar a máquina do Estado dentro de um projeto de enriquecimento ilícito, ou seja, para assaltar os cofres públicos”, acusou Caiado.

 

Sobre o autor

Graduando em Administração de Empresas pela UFG - Campus Goiânia, crítico das práticas politiqueiras e absolutamente intolerante a corrupção. @regesmaia

Comments are closed.