Governador Ronaldo Caiado extingue o cargo de Policial Militar de 3ª classe e equipara salários


Projeto enviado à Assembleia Legislativa acaba, também, com o cargo de agente e escrivão de polícia civil de 4ª classe. Segundo Caiado, não existem justificativas para que um policial que tem as mesmas atribuições ganhe menos do que os seus colegas

0

O Governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), envia hoje, 28, à Assembleia Legislativa do Estado de Goiás, o projeto de lei que reestrutura a carreira de Policial Militar e acaba com a figura do soldado de 3ª classe, criado pelo ex-governador Marconi Perillo, e cujo salário era de apenas R$ 1,5 mil. O PL também reestrutura a carreira de escrivão e agente de Polícia Civil, soldado do Corpo de Bombeiros Militar e Agentes de segurança prisional.

Caiado chamou de excrescência a 3ª classe da Polícia Militar e disse que a intenção, ao extinguir esse cargo dos quadros da PM-GO, é dar dignidade aos policiais, bem como remunerá-los como merecem as forças de segurança do Estado de Goiás.

“Isso não existirá mais no nosso Estado. Com esse projeto estaremos recuperando a condição e a dignidade de cerca de 2.600 servidores da área da segurança, que saem daquela categoria que foi criada por quem não teve o menor respeito com a segurança pública de Goiás, muito menos com os policiais militares e civis”, afirmou.

O governador anunciou, ainda, que outro projeto também enviado à Assembleia Legislativa prevê o pagamento de vale alimentação para todos os professores da rede estadual de educação, independente do valor do salário do beneficiário.

 

Sobre o autor

Graduando em Administração de Empresas pela UFG - Campus Goiânia, crítico das práticas politiqueiras e absolutamente intolerante a corrupção. @regesmaia

Comments are closed.