José Vitti, presidente da ALEGO, ataca judiciário goiano por acatar denúncia contra Marconi Perillo


O juiz da 8ª Vara Criminal de Goiânia, Ricardo Prata, determinou abertura de ação penal contra o ex-governador tucano pelo crime de corrupção passiva.

0

Em matéria publicada no jornal Opção, panfleto simpático ao governo tucano de Goiás, o atual presidente da Assembleia Legislativa de Goiás, José Vitti (PSDB), 1º suplente da candidata ao senado Lucia Vânia (PSB), fez duros ataques ao judiciário goiano, que aceitou a denúncia do Ministério Público Federal e colocou o ex-governador Marconi Perillo na condição de réu em ação penal por suposto crime de corrupção passiva.

Marconi Perillo foi denunciado ao STJ em março do ano passado, quando ainda era governador do Estado de Goiás, acusado de ter recebido R$ 90 mil em propinas, divididos em duas parcelas de R$ 45 mil, pagas pela Delta Construções, do empresário Fernando Cavendish, também denunciado. O processo foi remetido à 8ª Vara Criminal de Goiânia depois que Marconi renunciou ao cargo de governador para concorrer ao senado.

Numa atitude incompatível para um chefe de poder, Vitti teria dito que a denúncia contra o ex-governador Marconi Perillo (PSDB), que concorre ao Senado, tem caráter eleitoreiro, com clara intenção de interferir na disputa. Para o tucano, a decisão da 8ª Vara Criminal de Goiânia de, “em plena campanha”, transformar o ex-governador em réu seria uma evidente tentativa de desequilibrar o processo eleitoral.

A atitude do chefe do poder legislativo goiano mostra desequilíbrio e desconhecimento, já que a decisão do juiz Ricardo Prata, da 8ª Vara Criminal de Goiânia, foi tomada em 6 de agosto, antes, portanto, do início da campanha eleitoral. Ademais, as declarações de Vitti atentam contra o estado democrático de direito vigente no Brasil, além de configurar a completa falta de respeito com as instituições goianas, em especial com o judiciário.

De forma absolutamente desproporcional, Vitti tenta induzir os cidadãos goianos ao erro ao tentar relacionar o julgamento de uma ação cível contra o radialista Luiz Carlos Bordoni como condição excludente de qualquer outra responsabilidade penal de Marconi Perillo nos supostos crimes apurados no bojo da Operação Monte Carlo da Polícia Federal.

 

Sobre o autor

Graduando em Administração de Empresas pela UFG - Campus Goiânia, crítico das práticas politiqueiras e absolutamente intolerante a corrupção. @regesmaia

Comments are closed.