Marconi Perillo tira R$ 262 milhões da previdência estadual, destinados ao pagamento de inativos e pensionistas da educação, para socorrer Agetop


De acordo com o Relatório de Gestão Fiscal do Governo de Goiás, o resultado orçamentário do Regime Próprio da Previdência dos Servidores estaduais fechou com déficit de R$ 2,15 bilhões em 2017

0

Depois de fechar 2017 com um rombo de R$ 2,15 bilhões na Previdência Estadual, o governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), transferiu para a Agência Goiana de Obras Públicas (Agetop), comandada por Jayme Rincón, a importância de R$ 262,1 milhões oriundos do caixa da própria previdência dos servidores estaduais.

Emitido em 5 de fevereiro de 2018, o Decreto Orçamentário nº 10 dispõe sobre a abertura de 8 (oito) créditos suplementares à Agetop no valor global de R$ 262.109.083,83. Para viabilização dos recursos, o governo reduziu, em valor igual, a verba consignada para o pagamento de inativos e pensionistas na área da educação básica.

Ainda de acordo com o Decreto, os valores suplementados destinar-se-ão à construção de rodovias estaduais, aeródromos, pavimentação de vias urbanas, implantação do aeroporto de cargas de Anápolis, construção, reformas e ampliação de centros esportivos.

Curioso, no entanto, é o fato do governo tucano ter anunciado que cerca de R$ 500 milhões da venda da Celg-D teriam sido destinados à Agetop, justamente para a realização de obras dessa natureza.

 

Sobre o autor

Graduando em Administração de Empresas pela UFG - Campus Goiânia, crítico das práticas politiqueiras e absolutamente intolerante a corrupção. @regesmaia

Deixe um comentário