Por suposta proteção a Perillo, conselheiro Edson Ferrari é afastado do TCE-GO

0

Medida liminar deferida pela justiça goiana afastou de suas funções no Tribunal de Contas do Estado de Goiás o conselheiro Edson Ferrari. A decisão foi do juiz Élcio Vicente da Silva, da 3ª Vara da Fazenda Pública Estadual. A ação, que pede o afastamento definitivo do conselheiro, foi proposta pelo Ministério Público de Goiás e acusa Ferrari de, enquanto presidente do Tribunal, ter desativado as mais importantes estruturas de fiscalização, dificultando, sobremaneira, o controle das contas do Governador Marconi Perillo. As ações do Conselheiro, segundo os subscritores do pedido, foram praticadas para proteger o Governador de quem Ferrari declara-se amigo e devedor.

Edson Ferrari é acusado, também, de ter praticado o ilegítimo ato de desmonte do Ministério Público de Contas, notadamente no gabinete do Procurador Fernando dos Santos Carneiro, que tem atuado contra o nepotismo dos conselheiros. Tais atos propiciaram condições para diversas irregularidades, que permitiram o exponencial e inimaginável incremento do déficit na conta centralizadora do Estado, que atingiu R$ 1,492 bilhão em 2014.

Na decisão, o juiz pontua que documentos demonstram que Ferrari “exerceu sua função consultiva e ‘judicante’ em procedimentos envolvendo interesses e condutas de Marconi Perillo (inclusive de julgamento de contas), tendo declarado sua suspeição somente após se sentir ameaçado por representações ministeriais que questionaram referido ponto.” Edson Ferrari tem 15 dias para recorrer da decisão.

Sobre o autor

Graduando em Administração de Empresas pela UFG - Campus Goiânia, crítico das práticas politiqueiras e absolutamente intolerante a corrupção. @regesmaia

Comments are closed.