Vereador Paulo Daher quer que Ministério Público Eleitoral investigue fura fila das cirurgias eletivas em Goiás


Por meio de ofício expedido às prefeituras goianas, o governo de Goiás informa a criação de programa para realização de cirurgias eletivas, mas não deixa claro se seguirá a lista oficial existente de pacientes que esperam algum tipo de procedimento

0

O vereador de Goiânia Paulo Daher (DEM) deve enviar ao Ministério Público Eleitoral de Goiás nos próximos dias representação para que o órgão investigue prática do governo de Goiás, que, em tese, pode configurar crime eleitoral. A Secretaria Estadual de Saúde teria oficiado aos prefeitos das cidades goianas solicitando a lista de demanda por procedimentos eletivos em seus municípios.

De acordo com Daher, a criação do programa “Mais Saúde para Todos os Goianos”, iniciado no último mês de abril, pode ser uma estratégia do governo de José Eliton (PSDB) para a compra de votos no interior goiano, já que não há garantias de que estaria sendo obedecida a lista de espera para os procedimentos eletivos de saúde já existente em Goiás.

“É preciso que o Ministério Público Eleitoral investigue se a lista pré-existente de pacientes aguardando procedimentos eletivos em Goiás está sendo rigorosamente cumprida ou se o governo estaria agindo para favorecer apaniguados, a fim de angariar votos com isso”, explica o vereador.

Em Goiás, há uma lista de aproximadamente 55 mil pacientes que aguardam procedimentos eletivos. Alguns desses pacientes esperam atendimentos desde 2005. Apenas em Goiânia, cerca de 23 mil pessoas esperam a realização de cirurgias ou outro procedimento eletivo, algo em torno de 15 mil já estariam, inclusive, regulados. A suspeita é que o governo de Goiás estaria criando um lista paralela à oficial e privilegiando o atendimento aos indicados por razões políticas.

 

Sobre o autor

Graduando em Administração de Empresas pela UFG - Campus Goiânia, crítico das práticas politiqueiras e absolutamente intolerante a corrupção. @regesmaia

Comments are closed.