Violência continua subindo em Goiânia e população está em pânico

0

De janeiro a maio deste ano, a violência em Goiânia cresceu assustadoramente 23% na modalidade crime contra o patrimônio, o conhecido roubo, capitulado no artigo 157 do código penal brasileiro. Foram 3.154 ocorrências em maio contra 2.838 em janeiro de 2017. A média de roubos na Capital é assustadora: quase 5 crimes por hora, ou um crime a cada 12 minutos. A realidade pode ser ainda maior, se for considerada a hipótese de que muitas pessoas já nem vão mais à delegacia registrar ocorrência.

A situação da criminalidade em Goiânia tem deixado moradores em pânico. A ordem é trancar-se dentro de casa assim que o sol de põe e rezar para não ter o imóvel arrombado durante o dia. Aquela costumeira prática de reunir-se com vizinhos nas calçadas a noitinha, fato que marcou a vida em Goiânia nas décadas de 80 e 90, já não existe mais. Nas ruas as pessoas andam assustadas com qualquer movimento brusco ao seu redor. “Vivemos apreensivos, em situação de verdadeiro pânico, com o perigo de sermos assaltados quando saímos ou chegamos em casa. É inacreditável a situação que estamos vivendo na segurança pública do Estado”, diz uma moradora da região norte de Goiânia.

Enquanto as pessoas sofrem a degradação da violência, o Governo de Goiás anuncia programas que nunca saem do papel e que têm o único objetivo de desviar a atenção da população para um caso que há muito se tornou crítico em Goiás. A violência absurda que assola o Estado não tem merecido atenção e nem investimentos do governo de Marconi Perillo, o que explica o aumento da violência na Capital. “O programa do governo deveria se chamar Goiás na frente e o bandido atrás”, ironiza um cidadão ouvido pelo blog.

 

Sobre o autor

Graduando em Administração de Empresas pela UFG - Campus Goiânia, crítico das práticas politiqueiras e absolutamente intolerante a corrupção. @regesmaia

Comments are closed.