Connect with us

Política

Aliados de Ronaldo Caiado suspeitam que José Eliton não irá exonerar comissionados ao final do seu mandato

Published

on

Informações obtidas pelo Blog dão conta de que o atual governador de Goiás, José Eliton (PSDB), não deve decretar a exoneração dos funcionários comissionados da administração estadual, como tem sido praxe ao final de cada mandato. O motivo seria a falta de recursos para o pagamento do chamado “acerto trabalhista” a que esses funcionários teriam direito, como férias e 13º salário proporcional, além do próprio salário do mês trabalhado.

Em ocorrendo a exoneração, o governo de Zé Eliton teria que contabilizar essa despesa dentro do mês de competência, o seja, como despesas do mês de dezembro de 2018, portanto sob sua responsabilidade. Não o fazendo, o tucano estaria desobrigado de arcar com as despesas decorrentes da exoneração, ônus que recairiam sobre o governo de Ronaldo Caiado, caso o democrata optasse pela exoneração. A manobra não é ilegal, mas soa como um presente de grego para o novo governo.

Além do dispêndio financeiro, que hoje gira em torno de R$ 26 milhões mensais, Caiado ainda assumiria o ônus político de demitir cerca de sete mil servidores, fato que traria desgastes para o novo chefe do executivo estadual.

Copyright © 2020 - Nos Opinando - Liberdade de opinião em primeiro lugar. Shared By Fancy Text Generator