Connect with us

Política

Goiânia deve perder cerca de R$ 300 milhões em virtude da crise do Coronavírus. Obras, no entanto, estão mantidas

Com o objetivo de manter as contas públicas em equilíbrio e, ao mesmo tempo, priorizar os recursos destinados à prevenção e enfrentamento da pandemia, a Secretaria de Finanças de Goiânia vai limitar despesas de custeio efetivadas com recursos do Tesouro Municipal.

Published

on

O município de Goiânia deve perder cerca de R$ 306 milhões como efeito das medidas adotadas para prevenção e enfrentamento da pandemia provocada pelo Coronavírus (Covid-19). A estimativa é da Secretaria Municipal de Finanças (Sefin), que prevê que a arrecadação será cerca de  25% menor entre os meses de abril e agosto, se comparada com o mesmo período do ano passado.

De acordo com o secretário Municipal de Finanças de Goiânia, Alessandro Melo, a redução nas atividades econômicas do Estado e da Capital, reflexo da decisão do governador Ronaldo Caiado de determinar quarentena à população, tem impacto direto na arrecadação de tributos do município.

O Imposto Sobre Serviços (ISS), por exemplo, que é a principal fonte de arrecadação do município, deve ter uma das maiores perdas. Isso porque ele está relacionado a setores econômicos como construção civil, eventos, escolas, hotéis, clínicas, oficinas, salões de beleza, cartórios, academias, entre outros, que, na maioria, estão com as prestações de serviço suspensas pelos próximos 15 dias.

O objetivo da Secretaria de Finanças é inicialmente evitar que sejam gastos R$ 133 milhões de recursos do Tesouro. Esse volume pode aumentar ou não de acordo com a evolução das ações de saúde relativas ao Coronavírus e com as decisões de Estado para conter o alastramento.

“O município acaba sofrendo duas vezes porque nós vamos aumentar os gastos com Saúde, as despesas para tentar combater essa pandemia, e ao mesmo tempo nós vamos ter uma redução abrupta das receitas. Por isso nós vamos resguardar do orçamento, esse recurso vai ficar congelado, aguardando os desdobramentos das questões de saúde”, explica o secretário de Finanças.

Copyright © 2020 - Nos Opinando - Liberdade de opinião em primeiro lugar. Shared By Fancy Text Generator