Connect with us

Direito e Justiça

Operação Sofisma: valor pago ao site Goiás24Horas era até 378 vezes maior do que aqueles pagos a grandes veículos de comunicação de Goiás, diz MP-GO

Nesta semana, a Polícia Civil de Goiás deflagrou a Operação Sofisma, cujo objetivo é desvendar um esquema de corrupção operado entre os anos de 2015 e 2017 dentro da estrutura de comunicação do Governo de Goiás e que consistia no direcionamento de verbas públicas para sites e blogs ligados ao grupo que comandava o executivo estadual. Polícia aponta prejuízos de mais de R$ 2,5 milhões aos cofres públicos

Published

on

Por representação feita pela 57ª Promotoria de Defesa do Patrimônio Público, do Ministério Público de Goiás, a Polícia Civil de Goiás deflagrou na manhã da última quinta-feira, 23/01, a Operação Sofisma, cujo objetivo é desvendar um esquema de corrupção operado entre os anos de 2015 e 2017 dentro da estrutura de comunicação do Governo de Goiás e que consistia no direcionamento de verbas públicas para sites e blogs ligados ao grupo que comandava o executivo estadual.

De acordo com a denúncia enviada a Polícia Civil, o Ministério Público alega que Cristiano Silva seria o dono e editor do Blog Goiás24Horas, que durante o governo do tucano Marconi Perillo recebeu vultosas verbas públicas para disseminar factoides em favor do Governo de Goiás e outros atacando os adversários dos então mandatários do Estado, com cunho eminente político e sem nenhum conteúdo institucional.

O Ministério Público alega que o valor das campanhas publicitárias pagas ao site de Cristiano Silva é cerca de 378 vezes maior do que o praticado no mercado de mídias digitais. Enquanto o Custo Por Mil visualizações (CPM) de sites de maior audiência no Estado, como o O Popular Online, por exemplo, é de R$ 2,69, o CPM pago ao site Goiás 24 Horas teria chegado a R$ 1.017,00, diz o órgão ministerial.

Durante a operação, a Polícia Civil realizou buscas e apreensões de documentos, computadores e outros equipamentos em diversos endereços de Goiânia e do interior de Goiás. Segundo a polícia, o que foi apurado até agora são provas contundentes da existência de um esquema que envolve corrupção passiva e até lavagem de dinheiro.

 

Copyright © 2020 - Nos Opinando - Liberdade de opinião em primeiro lugar. Shared By Fancy Text Generator