Connect with us

Cidades

Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia nega fechamento da Maternidade Dona Iris

Published

on

Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia negou, peremptoriamente, que o Hospital e Maternidade Dona Iris esteja na iminência de paralisar suas atividades por falta de recursos. O boato, segundo a Secretaria, ocorreu depois que o atendimento ambulatorial foi suspenso. No entanto, o atendimento de urgência e emergência está funcionando normalmente. A Maternidade é uma das referências em atendimento às gestantes da Capital.

De acordo com a SMS, a suspensão temporária do atendimento ambulatorial é consequência de uma reavaliação dos aditivos contratuais que se sucederam ao contrato original mantido entre a Prefeitura de Goiânia e a Fundação de Apoio ao Hospital das Clínicas (FundaHC), assinado em 2012. “Ao longo do convênio, houve ampliação dos serviços executados mediante celebração de termos aditivos, os quais culminaram em acréscimo de cerca de 113% em relação ao valor inicial do convênio”, diz a nota da Secretaria.

A Saúde Municipal afirma que esse descompasso entre o valor dos serviços prestados e a capacidade de pagamento da unidade acarretou o acúmulo da dívida com a Fundahc, agravado pelo fato de que esses valores não vinham sendo quitados pela gestão anterior desde setembro de 2016. Em virtude disso, a atual gestão entabulou com a Administradora da Maternidade um acordo para adequar a prestação dos serviços à capacidade de pagamento da Secretaria e que desde janeiro vem efetuando os pagamentos dentro do que foi pactuado.

A Secretaria enfatizou, ainda, que tem priorizado a manutenção da assistência completa ao parto e ao neonato com qualidade na Maternidade Dona Iris.

Leiam a nota da Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia na íntegra:

A Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia (SMS) esclarece que o atendimento de urgência e emergência no Hospital e Maternidade Dona Iris (HMDI) está mantido. As mulheres que precisarem desse tipo de atendimento na Capital podem continuar procurando a Maternidade.

No entanto, o atendimento ambulatorial foi paralisado temporariamente por conta da revisão do contrato firmado entre a Prefeitura de Goiânia e a Fundação de Apoio ao Hospital das Clínicas (FundaHC), que foi aditivado em valores que chegam a 113% em relação ao valor inicial do convênio.

Vale lembrar que a gestão anterior não realizava desde setembro os repasses à Fundação. A atual gestão, desde janeiro, tem reforçado a readequação dos serviços ofertados, enfatizando a priorização da manutenção da assistência completa ao parto. Além disso, a SMS realizou reuniões frequentes com a Fundação e nos últimos meses efetuou todos os pagamentos dentro do ajuste solicitado. Entretanto, com os aditivos, os valores do convênio ficaram acima da capacidade de pagamento da secretaria, que está se esforçando para resolver o impasse.

Continue Reading

Copyright © 2020 - Nos Opinando - Liberdade de opinião em primeiro lugar. Shared By Fancy Text Generator